Estilo Kitsch. Mais é Mais!

Já ouviu falar na decoração kitsch? Esse termo, de origem alemã, serve para classificar diferentes estilos, geralmente marcados pela extravagância. Os filmes de Almodóvar, as imagens de David LaChapelle ou o visual de Lady Gaga são ícones dessa estética, seja no cinema, na fotografia ou no universo pop. Quando aplicado na decoração, o kitsch é definido pelo exagero, o uso excessivo de elementos visuais e cores vibrantes nos ambientes. –

O estilo kitsch é 8 ou 80, ame-o ou deixe-o. Isso porque ele desafia todas as regras decorativas e tem personalidade marcante. Ele vai no caminho oposto ao do minimalismo, dizendo que na verdade mais é mais. Marcado pelo uso de peças e acessórios engraçados e esquisitos, o kitsch é um jeito original e desprendido de decorar, que mistura itens dos mais variados estilos e épocas em um só espaço, no maior estilo tudojuntoemisturado.

Familiar para alguns, o fato é que tal forma de ornar a casa — e a vida! — é mais comum do que se imagina. Pinguim de geladeira, luminária de cartola ou, quem sabe, muita cor e estampa? Liberado. Tudo ao mesmo tempo agora. A estética kitsch – apesar de parecer confusa à primeira vista – permite aliar tudo isso a boas doses de bom humor e sofisticação, acredite.

Em foco, objetos antigos encontrados em feiras, herdados ou trazidos de viagens, ajudam a criar uma teia infinita de referências em um espaço marcado por boas histórias. Aqui, é importante lembrar que garimpar faz parte da diversão e do dia a dia de quem aposta em uma composição irreverente. Alguns achados acabam sendo os responsáveis por toda a graça do ambiente. –

Afinal, a regra é clara: separados, nada combina. Juntos, se transformam em um verdadeiro deleite visual, tão inusitado quanto cheio de vida, perfeito para quem não abre mão de um espaço ousado e cheio de personalidade.

É claro que este estilo não é para qualquer um. Tem quem torça o nariz e ache brega, exagerado. Mas a gente particularmente adora a ousadia de criar as próprias regras na hora de decorar e de não ter medo de espalhar pela casa peças com memória, mesmo que sejam visualmente ultrapassadas ou fora de contexto. O resultado é um lar com vida, aconchegante e com jeito de casa de verdade.
A vantagem de investir no estilo kitsch é ganhar uma composição única gastando pouquíssimo. Até porque, a graça da decoração também está no momento da busca pelos itens em lojinhas baratas e brechós. Garimpar faz parte da diversão e do dia a dia de quem aposta em uma composição irreverente e alguns achados acabam sendo os responsáveis por toda a graça do espaço.

-Bem-vindo ao mundo dos excessos!


E vocês o que acham? se identificam? ou acham uma enorme bagunça visual.

Fonte (Minha Casa Minha Cara)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s